A devoção dos Cinco Primeiro Sábados, pelo Rev. Pe. Marie-Dominique, O.P.



Este artigo apareceu primeiramente na Revista dos Frades Dominicanos de Avrillé,

"Le Sel de la Terre", nº103, Inverno de 2017-2018.


Os pedidos de Nossa Senhora de Fátima

Em Fátima, há dois tipos de pedidos: Uns se destinam a todos os fiéis e o outro é dirigido ao Papa. Vejamos primeiramente os pedidos concernentes aos fiéis.


1- Pedido concernentes a todos os fiéis: são cinco pedidos e resultam relacionados a Deus:


Escutemos a irmã Lúcia: “O mais importante é o cumprimento do dever de estado e a oferta dos sacrifícios necessários ao cumprimento deste nosso dever em favor dos pobres pecadores”.


Os pedidos secundários são o terço e a imposição do escapulário, mas especialmente o que estas duas devoções nos exigem, a saber, respectivamente: meditação atenta dos mistérios do Rosário e a consagração ao Coração Imaculado de Maria (10).


Expliquemos brevemente este diferentes pontos e, antes de tudo, o mais importante:


- Cumprimento de nosso dever quotidiano


Várias vezes, durante as preciosas horas que eu passei em sua companhia, disse a irmã Lúcia, Nossa Senhora insistiu sobre o cumprimento do dever quotidiano conforme a nossa condição de vida; e a oferta deste esforço em reparação de nossos pecados e pela conversão dos pecadores. Isso é a condição fundamental que nos possibilitará de repulsar a onda das forças do mal que ameaça submergir o mundo hoje em dia (11).


Estas palavras da irmã Lúcia nos mostram ao mesmo tempo que na época atual - como a devoção ao Sagrado Coração de Jesus - a devoção ao Imaculado Coração de Maria é uma devoção reparadora.


À frente da palma da mão direita de Nossa Senhora estava um coração cercado de espinhos que lhe pareciam estar cravados. Compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, o que queria reparação (Aparição do 13 de Junho de 1917).


Hoje os tempos se vão mal; os pecados tornaram-se como uma onda que submerge o mundo e, depois de Nosso Senhor, jamais o número de almas que se condenam foi tão grande e é por isso que Nossa Senhora mostrou o inferno às três crianças no dia 13 de julho.


A Virgem Maria nos convida então a salvar almas oferecendo ao seu coração Imaculado, primeiramente pelos nossos pecados, não nos esqueçamos! - e em seguida pela conversão dos pecadores, os sacrifícios ocasionados pelo cumprimento de nossos deveres quotidianos. É assim que nós traremos de volta a Deus o homem moderno que não cumpre mais seus deveres para com Deus, nem para com ele mesmo e para com o próximo, porque já não pensa mais do que em reivindicar seus direitos.


Cada dia, ao nos levantarmos, nós podemos recitar a invocação ensinada por Nossa Senhora às crianças no dia 13 de julho:


"Ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação

aos pecados cometidos contra o Coração Imaculado de Maria" (12).


Esta consagração matinal influirá sobre todas as nossas ações do dia, que terão então o valor de oferta reparadora ao Coração Imaculado de Maria, mesmo quando nela nós não pensamos em alguns momentos. Mas é bom, claro, renovar este oferecimento durante o dia sob a forma de uma oração jaculatória, em particular assim que se deva oferecer um sacrifício.


- Consagração a Nossa Senhora


Esta oferta de todas as nossas ações nos traz de volta e nos conduz à consagração de nossa vida a Nosso Senhor pela Virgem Maria. É a oblação espiritual, o sacrifício interior manifestado pela prática exterior das virtudes, que nós falamos com relação às aparições do Anjo - no verão de 1916 - e realizada agora pela mediação de Nossa Senhora.


- O uso do escapulário


No espírito de Fátima, o escapulário que foi mostrado às três crianças por Nossa Senhora no 13 de Outubro, enquanto a multidão via o milagre do sol, por sua vez, foi o sinal de nossa consagração à Nossa Senhora e o vínculo de sua proteção toda particular.


- Recitação quotidiana do terço


Quanto ao principal meio dado por Nossa Senhora para realizar este ideal: - o

Rosário:


A Virgem Maria, continua a irmã Lúcia, explicou-me o quanto o Rosário é importante, porque é um dos principais meios que nos foram dados por Nossa Senhora para a santificação de nosso dever quotidiano (13).


Lembremos aqui que, em sua Encíclica Laetitiae Sanctae, o Papa Leão XIII via

no Rosário o melhor remédio contra os males atuais da sociedade:


A aversão a uma vida humilde e laboriosa encontra seu remédio na meditação dos mistérios gozosos. [...] o horror de tudo o que faz sofrer é curado pela meditação dos mistérios dolorosos que ensinam a paciência: [...] enfim, o esquecimento dos bens futuros encontra seu remédio na meditação dos mistérios gloriosos (14).


O Rosário é então o meio mais eficaz para escapar da doutrinação moderna e do condicionamento dos espíritos, organizado hoje em dia pelos mundialistas.


O pedido de recitar o terço todos os dias é ademais tão importante para Nossa Senhora, que o repetiu - com a um refrão - em cada uma de suas aparições de maio a outubro de 1917; e que em 13 de outubro quando ela tinha prometido que diria o seu nome, ela disse se chamar: "Nossa Senhora do Rosário".


É claro, e se trata aqui, para esta recitação, de se colocar na presença da Virgem Maria e de meditar ou contemplar os diferentes mistérios, um após o outro. Nós podemos nos servir de livretos de meditação numerosos que existem.


- Comunhão reparadora dos cinco primeiros sábados do mês


Esta vida reparadora para a qual Nossa Senhora nos chama a todos devia encontrar sua coroação na comunhão eucarística - lembremo-nos da aparição do Anjo de Portugal em outubro de 1916 - e pensemos na magnífica visão trinitária de Tuy em 1929 (a 13 junho), a qual resume toda a espiritualidade de Fátima.


É a comunhão reparadora nos cinco primeiros sábados, um de cada mês durante cinco meses seguidos, anunciada desde 13 de julho de 1917 (15), que Nossa Senhora especialmente veio nos pedir em Pontevedra no dia 10 de Dezembro de 1925:


"Todos aqueles que durante cinco meses, no primeiro sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço e Me fizerem quinze minutos de companhia, meditando nos quinze mistérios do Rosário, com o fim de me desagravar, eu prometo assistir-lhes na hora da morte com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas.”


Se os pedidos precedentes tiveram por objeto todos os pecados em geral, para obter assim a conversão dos pecadores, esta devoção dos primeiros sábados tem por objeto o de reparar os pecados cometidos especialmente contra o Coração Imaculado de Maria e de salvar aqueles que os cometeram. Citemos aqui o irmão Francisco Maria dos Anjos:


“Depois que Deus decidiu manifestar seu designo de amor, que é de dar suas graças aos homens pela mediação da Virgem Imaculada, parece que sua recusa de se submeter docilmente a esta vontade seja a falta que fere particularmente seu Coração, e pela qual ele não encontra mais nele mesmo nenhuma inclinação a perdoar. Este pecado parece irremissível. ‘É um pecado que o Evangelho chama como pecado contra o Espírito Santo’, disse a irmã Lúcia (16), ‘pecado que não será perdoado nem neste mundo nem no outro’ (Mt 12, 31-32), pois não há para Nosso Senhor um crime mais imperdoável que o de desprezar sua Santíssima Mãe e ultrajar seu Coração Imaculado que é o santuário do Espírito Santo” (17).


Então a Virgem Maria, que é a Rainha de misericórdia, não podendo suportar que as almas sejam condenadas por causa dos pecados cometidos contra ela, obteve de seu Filho, que esta pequena prática obtivesse a salvação de muitas destas almas:


“Eis, minha filha, porque motivo o Imaculado Coração de Maria me inspirou para pedir esta pequena reparação e, em consideração a ela, comover minha misericórdia  para perdoar as almas que tiveram a infelicidade de ofendê-lo" (18).


Nosso Senhor nos dará então um certo número de prescrições, e antes de tudo, a confissão que pode ser antecipada:


“A confissão até de oito dias depois é válida e de muitos dias mais, contanto que se esteja em graça no primeiro sábado, quando Me receberem; e que, nessa confissão anterior, tenham feito a intenção de fazer a reparação ao Sagrado Coração de Maria;


“Aquelas almas que esqueceram de formular esta intenção, poderão formulá-la na confissão posterior, aproveitando da primeira ocasião que elas tiverem para se confessarem (19);


“A prática desta devoção será igualmente aceita no Domingo que segue o primeiro sábado, quando meus sacerdotes, por justos motivos, o permitirem às almas” (20).


Quanto à explicação do número de cinco sábados. Nosso Senhora dará sua razão à irmã Lúcia no dia 29 de maio de 1930, em Tuy:


Há cinco espécies de ofensas e blasfêmias proferidas contra o Coração Imaculado de Maria:


- “As blasfêmias contra a Imaculada Conceição;

- As blasfêmias contra a sua perpétua virgindade;

- As blasfêmias contra sua maternidade divina;

- As blasfêmias daqueles que procuram publicamente colocar no Coração das crianças a indiferença e o desprezo, ou mesmo o ódio para com esta Mãe Imaculada;

- As ofensas daqueles que a ultrajam diretamente em suas santas imagens” (21);


Nossa Senhora dá tanta importância a esta devoção, que ela promete a salvação às almas por terem praticado esta devoção nos cinco primeiros sábados seguidos. Convém, claro, de praticar esta devoção todos os primeiros sábados do mês para continuar a reparar os pecados contra Nossa Senhora e salvar almas. É o que fazem os fiéis fervorosos.


Nós temos agora os cinco pontos característicos da devoção ao Coração Imaculado de Maria no espírito de Fátima:


1- Cumprimento de nossos quotidianos deveres de estado oferecidos ao Coração Imaculado de Maria em reparação de nossos pecados e pela conversão dos pecadores;

2- A consagração à Nossa Senhora;

3- A recitação quotidiana do terço;

4- A confissão seguida da comunhão reparadora dos primeiros sábados do mês;

5- A meditação nos quinze mistérios do Rosário.


Estes cinco pontos podem se resumir em dois:


- A consagração de nossa vida ao Coração Imaculado de Maria, para reparar os pecados em geral e obter a conversão dos pecadores.


- A comunhão reparadora dos primeiros sábados, que é uma prática de amor a Nossa Senhora (22), para reparar os pecados cometidos especialmente contra seu Coração Imaculado, e salvar esta categoria de pecadores que a Rainha de misericórdia que arrancar do abismo.


2- Pedidos de Nossa Senhora de Fátima ao Papa


Em maio de 1930, quando ela se encontrava em Tuy, irmã Lúcia escreveu ao Padre Gonçalves:


Deus prometeu colocar um fim à perseguição na Rússia, se o Santo Padre dignasse fazer e ordenar aos bispos do mundo católico de o fazer, igualmente, um ato solene e público de reparação e de consagração da Rússia aos Santíssimos Corações de Jesus e Maria, e se sua santidade prometesse, para o fim desta perseguição, de aprovar e de recomendar a prática da devoção reparadora [dos cinco primeiros sábados] (23).


A comunhão reparadora não foi suficientemente propagada pelos papas e a consagração da Rússia ainda não foi feita.


A consequência não foi somente a difusão dos erros da Rússia no mundo inteiro, com milhões de cadáveres, mas também sua infiltração na Igreja, que é certamente a maior vitória do comunismo: pelas duas grandes ondas de infiltração, sob Pio XI, e depois sob Pio XII com o movimento Pax 24 , sem contar a tomada de poder pela ocasião do Concílio Vaticano II. O plano da Alta Venda, denunciado pelo Papa Pio IX, encontra-se realizado: “uma revolução com tiara e capa (25), marchando com a cruz e a bandeira” (26).


“Sendo que eles – os meus ministros - seguem o exemplo do rei da França, retardando a execução de meu pedido, eles o seguirão em sua infelicidade”, tinha predito Nosso Senhor (27).


Sem dúvida, é sobre isso que se trata toda a questão do terceiro segredo de Fátima. A presente crise na Igreja deve ser vista no quadro das aparições de Fátima, como o castigo aos homens da Igreja por não terem respondido aos pedidos de Nossa Senhora.


E isso deve guiar também nossa piedade mariana hoje. A verdadeira devoção à Santa Virgem deve nos fazer amar e imitar Nossa Senhora como ela é: Ora, a Virgem Maria, dizia Monsenhor Lefebvre, “não é nem liberal, nem modernista, nem ecumenista. Ela é alérgica a todos os erros e, com mais forte razão à apostasia” (28).


Nós podemos fazer alguma coisa? Sim.


A conversão da Rússia acontecerá quando um número suficiente de católicos oferecerem seus sacrifícios e cumprirem os pedidos de Nossa Senhora, disse irmã Lúcia (29).


Isso é o mesmo que dizer que a conversão da Rússia somente acontecerá quando um número suficiente de almas, aos olhos de Deus, tiverem consagrado toda sua vida à Virgem Maria. É isso que obterá do Papa a graça e se converter e de consagrar a Rússia, desencadeando o triunfo do Coração Imaculado de Nossa Senhora e consequentemente aquele do Sagrado Coração.


Em resposta à pregunta da Irmã Lúcia, de qual razão porque Ele não convertia a Rússia sem que o Santo Padre consagrasse a Rússia ao Coração Imaculado de Sua Mãe, Nosso Senhor respondeu “Porque quero que toda a Minha Igreja reconheça essa consagração como um triunfo do Coração Imaculado de Maria, para depois estender o seu culto e pôr, ao lado da devoção ao Meu Divino Coração, a devoção deste Imaculado Coração” (30).


Podemos ver um anúncio deste triunfo nas palavras de Nossa Senhora em La Salette?


“Jesus Cristo será servido, adorado e glorificado. A caridade florirá em todos os lugares. Os novos reis serão o braço da Santa Igreja, que será forte, humilde, piedosa, pobre, zelosa, e imitadora das virtudes de Jesus Cristo. O Evangelho será pregado em todas as partes e os homens farão grandes progressos na fé porque haverá unidade entre os obreiros de Jesus Cristo, e porque os homens viverão no temor de Deus. Esta paz entre os homens não será longa (31): vinte e cinco anos de abundantes colheitas lhes fará esquecer que os pecados dos homens são causa de todas as penas que caem sobre a terra” (32).


Em todo caso, lembrados das três batalhas de Jean Vaquié: “ao mesmo tempo em que se trava a batalha de manutenção para manter e transmitir a civilização cristã, travamos a batalha preliminar de súplica respondendo aos pedidos do Sagrado Coração e do Coração Imaculado de Maria, nós trabalharemos assim em avançar na batalha superior que é a batalha de Deus, e que verá o triunfo dos Corações de Jesus e Maria” (33).


Quanto a nós, pessoalmente, unida nossa devoção ao Sagrado Coração de Jesus à devoção ao Coração Imaculado de Maria, estas nos obterão a salvação e, se devem chegar tempos difíceis, elas permitir-nos-ão atravessá-los sem perder nossas almas, ainda que nos obtendo a graça do martírio, caso isso venha a ser necessário!


__________________

10 - Palavras da irmã Lúcia recolhidas em 1946 por John HAFFERT, um dos principais responsáveis pelo Exército Azul e relatadas em sua obra The Brother and I, cap. 27.

11 - Palavras da irmã Lúcia relatadas por John HAFFERT, ibid, p. 17.

12 - NdT, Jacinta, segundo o relato de Irmã Lúcia, acrescentava: "... e pelo Santo Padre."

13 - Palavras da irmã Lúcia relatadas por John HAFFERT, ibid., p.17.

14 - Leão XIII, carta encíclica Laetitiae Sanctae, do 8 de setembro de 1893.

15 - "Deus vai punir o mundo de seus crimes por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para impedir isso, eu virei pedir a comunhão reparadora dos primeiros sábados do mês."

16 - Irmã Lúcia, Entrevista com o padre Fuentes, em 1957.

17 - Irmão Francisco Maria dos Anjos, Fátima, alegria íntima evento mundial, Saint Parres-lès-Vaudes, Éditions de la Contre-Réforme catholique, 2ª édition, 1993, p. 159-160.

18 - Citado pelo irmão Francisco Maria dos Anjos, ibid., p. 159.

19 - Palavras de Nosso Senhor relatadas pela irmã Lúcia em uma carta ao Cônego Lopes, no dia 15 de fevereiro de 1926.

20 - Palavras de Nosso Senhor relatadas pela irmã Lúcia em uma carta ao Padre Gonçalves, seu confessor, no dia 30 de maio de 1930.

21 - Carta da

22 - "Que alegria quando chega o primeiro sábado", exclamava a pequena Jacinta.

23 - Irmã Lúcia, citada pelo irmão Francisco Maria dos Anjos, em Fátima, alegria íntima evento mundial, ibid., p. 199.

24 - Pode-se ler no Sal da Terra, nº53, Fátima: nossa esperança; artigo de Dominicus: "Jean-Paul II a-t-il consacré la Russie?", p. 63, note 3.

25 - Quer dizer, uma revolução tendo como instrumento o papado - por via da obediência -, tiara e capa são parte principal dos ornamentos pontificais usados pelo Santo Padre.

26 - Extrato dos papéis secretos da Alta Venta dos Carbonários italianos (maçons), caídos nas mãos do Papa Gregório XVI e publicado a pedido do Papa Pio IX por CRÉTINEAU-JOLY, em sua obra A Igreja Romana e a Revolução. Pode-se referir ao capítulo 21 da obra de Monsenhor Lefebvre, "Do liberalismo a apostasia", "O complô da alta venda".

27 - Palavras de Nosso Senhor relatadas pela Irmã Lúcia em uma carta do dia 29 de agosto de 1931 ao seu bispo.

28 - Dom Marcel Lefevbvre, livro "Itinerário Espiritual".

29 - Palavras de irmã Lúcia relatadas por John Haffert, na obra "The Brother and I", ch 27.

30 - Carta da irmã Lúcia ao padre Gonçalves o dia 18 de maio de 1936.

31 - No dia 13 de Julho de 1917, Nossa Senhora nos disse: “Será dado ao mundo um certo tempo de paz". E após este período é que, na mensagem de La Salette, Nossa Senhora nos parece dizer que virá o Anticristo.

32 - A aparição da Santíssima Virgem na Montanha de La Salette, sábado, 19 de setembro de 1846, Paris/Rome/Bruges, Sociedade Saint-Augustin, 1922 (Imprimatur du Padre A. Lepidi O.P., Mestre do Sagrado Palácio e Assistente perpétuo da congregação do Index).

33 - Ver o livreto de Jean Vaquié, La Bataille Préliminaire, Chiré-en-Montreuil, DPF, 2016.