Comentários Eleison nº 789



Por Dom Williamson

Número DCCLXXXIX (789) – 27 de agosto de 2022


O QUE É “REALIDADE”? – I


Os comunistas, os “cientistas”, amam o sistema de Kant,

Mas os católicos só podem odiar seu discurso irreal.


A pergunta não poderia ser mais básica, e, no entanto, na confusão planejada de hoje, a resposta se torna cada vez mais incerta, e são os próprios “cientistas” que estão turvando as águas, como fica claro em um recente artigo que apareceu na seção “positive news [notícias positivas]” da edição online de 21 de agosto do “Epoch Times”. O artigo é intitulado “Is Reality a Hologram? A Social Agreement? Or Just in Your Mind? Scientists Explain What Reality Realy Is [A Realidade é um holograma, um acordo social, ou está apenas em sua mente? Cientistas explicam o que a realidade realmente é]”. Mal podemos esperar para descobrir o que realmente é a realidade! Portanto, vejamos algumas citações do artigo dos “cientistas” e acrescentemos a cada uma delas um comentário católico.


1 Albert Einstein (1879-1955). Pouco antes de sua morte, ele é citado como tendo dito: “A realidade não é mais que uma ilusão, embora muito persistente”. A realidade a que Einstein se refere aqui é, sem dúvida, a realidade fora da mente, ou a realidade extramental, e é claro que uma multidão de seres humanos está convencida de que o mundo que a rodeia está fora, e não apenas dentro, de suas próprias mentes. Isso é bom senso, mas é claro que o “cientista” moderno pensa que está acima do senso comum, e está convencido de que sua “ciência” sabe mais e melhor. No entanto, como Einstein parece reconhecer, o senso comum é “muito persistente”. Qualquer homem comum sabe que seu cachorro não é apenas uma invenção de sua própria imaginação, de sua mente.


2 Werner Heisenberg (1901-1976). Pioneiro da mecânica quântica, usa-se dele a seguinte citação: “As mesmas forças ordenadoras que moldaram a natureza em todas as suas formas são também responsáveis ​​pela estrutura de nossas mentes”. Embora esta afirmação tenha um sentido verdadeiro (Deus fez tanto a realidade extramental como as mentes humanas para compreender essa realidade), na realidade está sugerindo que nossas mentes, por sua natureza, não podem ajudar a moldar aquilo que compreendem da "natureza" extramental; em outras palavras, nossas mentes não podem conhecer a realidade extramental como ela é em si mesma, independentemente de nossas mentes. Esta sugestão é completamente falsa, porque o que ele chama “forças organizadoras”, e o que os católicos chamam “Deus”, formaram nossas mentes precisamente para conhecer a realidade extramental tal como ela é em si mesma, e não como foi moldada por nossas mentes no processo de conhecê-la. Por si mesmas, nossas mentes estão em branco.


3 Peter Russell (nascido em 1946). Físico e autor religioso que pretende combinar a ciência com a espiritualidade, é citado dizendo: “A ilusão surge quando confundimos a realidade que experimentamos com a realidade física, a coisa-em-si”. Ora, este escritor está aberto à “espiritualidade”, então não é um materialista em absoluto, mas sim um kantiano, separado da realidade extramental, porque o que ele diz aqui é que o que nós, seres humanos, “experimentamos da realidade” não é a mesma coisa que a realidade extramental, que ele chama aqui “realidade física” ou “a coisa-em-si”, na própria linguagem de Kant, “das Ding an sich”.


Em outras palavras, assim como Einstein, assim como sugeriu Heisenberg e sugerem tantos “intelectuais” e “cientistas” de hoje, mas em sentido contrário em relação às pessoas comuns que ainda têm algum senso comum, Russell está aceitando a louca proposição do "filósofo" alemão Immanuel Kant (1724-1804) de que a mente humana é intrínseca e absolutamente incapaz de conhecer o que qualquer coisa é, e só podemos conhecer suas aparências, enquanto são nossas próprias mentes que fabricam dentro de si o que é a coisa-em-si mesma, por trás ou além dessas aparências (ou fenômenos). Daí que tantos “filósofos” modernos se tenham deixado levar pela fenomenologia. No entanto, quantos desses fenomenólogos terão criado seu próprio cão, em cuja realidade extramental eles jamais duvidaram nem por um momento! O cachorro tinha que ser alimentado todos os dias, tinha que ser absolutamente impedido de exercer certas funções naturais dentro de casa todos os dias, etc.


Essa paralização da mente humana por Kant – e ele estava simplesmente sistematizando a apostasia da Europa que o rodeava – é crucial para os católicos e para qualquer pessoa que queira salvar sua alma. Como posso levar a sério qualquer Deus extramental se não há realidade extramental que eu possa conhecer? Quando o Exército Vermelho invadiu a cidade de Kant, Koenigsberg, em 1945, destruiu todos os tipos de coisas, mas respeitou cuidadosamente todos os monumentos de Kant, que podem ser vistos até hoje... Não percam os Comentários Eleison da próxima semana!


Kyrie eleison.