PECADO MORTAL – A Ingratidão

II – PECADO MORTAL

Malícia

A Ingratidão

Mas ainda não pensastes que quem peca se torna réu da mais negra ingratidão para com Deus, porque:

1 – Despreza os seus benefícios;

2 – Dá-lhe o mal pelo bem;

3 – Serve- se de seus benefícios para ofender o Benfeitor.

1 – O desprezo dos benefícios

O pecador que maltrata Deus porventura recebeu dele alguma injustiça? Pelo contrário. Recebeu apenas benefícios e favores imensos. Tudo o que temos é dom de Deus. Ele nos criou, e nos conserva a vida; deu-nos a inteligência, a saúde e os bens materiais e de fortuna.

Além disso, para salvar-nos do inferno sacrificou o seu divino Filho Jesus Cristo que nos redimiu com o seu sangue, morrendo na cruz por nós. E é este o cúmulo de todos os benefícios. Oh! Que grande mal é desprezar os benefícios de Deus e o sangue de Jesus Cristo por nós derramado! Desse mal se lamenta o Senhor, dizendo pela boca de Isaías: “Criei filhos e engrandeci-os; e eles me desprezaram” (Is 1,2).

2 – O mal pelo bem

Quem fita o Crucifixo deve compreender o grande mal que, com o pecado, se faz a Deus para compensar o bem que Ele nos tem feito.

Branca de Castela – Mãe de São Luís, rei de França, dizia amiúde a este seu filho quando ainda menino:

_ Só Deus sabe quanto bem te quero; e, no entanto, eu preferiria ver-te morto aqui aos meus pés, antes que tivesses de cometer um único pecado mortal.

Depois, mostrando-lhe o crucifixo, aduzia:

_ Fica sabendo que os pecados dos homens foram a causa da paixão e morte do divino Redentor; e quem comete pecado mortal torna a crucificar Jesus.

Estas palavras ficaram tão gravadas no coração de Luís, que amiúde repetia ele:

_ Antes morrer que pecar!

***

É assim, queridas crianças: quem peca gravemente crucifica de novo o Filho de Deus, como ensina São Paulo: Rursum crucifigentes sibimetipsis Filium Dei (Hebr 6,6).

Um cristão crucificar de novo Jesus Cristo! Esta sim, de todas as ingratidões é a mais horrível! É pior que a dos judeus. Estes não conheciam Jesus como verdadeiro Deus: mas o cristão O conhece. Os judeus crucificaram Jesus só uma vez; mas o cristão crucifica-o toda vez que peca! E por quê? Por um capricho… por um mau prazer de um instante… Violabant me propter pugillum hordei et fragmen panis (Ez 13,19).

3 – Servir-se dos benefícios para ofender o Benfeitor

Um mendigo assassino – Um mendigo topou na rua um senhor a quem pediu caridade. O senhor, que era bom e caridoso, deu-lhe uma moeda de ouro. Sabeis o que fez da moeda o pedinte? Foi logo comprar um punhal e, alcançando o seu benfeitor ao entrar em casa, com essa arma o matou. Que monstruosidade!

***

Mas isso são fatos que sucedem? Sim, sucedem, e amiúde.

Toda vez que alguém comete um pecado mortal, serve-se dos benefícios de Deus para ultrajá-Lo e renovar a Jesus a sua paixão e morte.

Serve-se da inteligência para alimentar pensamentos maus; do coração para desejar coisas indignas; da língua para dizer palavras escandalosas e blasfêmias; dos olhos para olhar coisas feias e ler livros maus; dos ouvidos para escutar palestras ímpias e desonestas; das mãos para cometer tantas maldades; da saúde… do tempo… e até dos Sacramentos para cometer sacrilégios!

Que monstro de ingratidão é afinal o pecador que se serve dos próprios dons de Deus para maltratá-Lo, e para pregar de novo Jesus na Cruz! É pior que os tigres e que todas as feras, as quais são gratas a quem as beneficia.

***

Conclusão

Ouvistes que grande mal é o pecado? E cometê-lo-eis? E se já o cometestes? E se cometestes muitos? Gostaríeis de continuar a ofender a Deus? Ah! Não! Por certo.

Detestais, pois, de todo o coração os pecados de vossa vida pregressa; lastimai-os com lágrimas de verdadeira contrição; pensai em levá-los com uma boa confissão, e resolvei para o futuro nunca mais ofender o bom Deus. Dizei ainda, sinceramente: “Senhor, a morte, porém não mais os pecados!”

(Extraído do livro A Palavra de Deus em Exemplos, G. Montarino)