VIII – A Misericórdia de Deus - Deus acolhe os pecadores



I – A volta (Deus acolhe os pecadores)


Reportemo-nos agora com o pensamento ao Filho pródigo que lá deixamos sob o carvalho. Que dizia a si mesmo aquele miserável? – Quantos criados em casa de meu pai lá passam bem, têm pão abundante, têm delícias... e eu aqui morto de fome! Mas, então, continuarei nesta vida infeliz? E se eu voltasse para o meu pai...? Por que não? Ele é tão bom! Conheço-lhe bem o coração. Mas que lhe direi? Jogar-me-ei aos seus pés... e dir-lhe-ei: Pai, perdão! Pequei contra o céu e contra vós; não sou mais digno de ser chamado vosso filho; tende-me ao menos como o ultimo de vossos criados. Surgam, et ibo ad patrem meum (Lc 15,18).


E se levanta: lá deixa o rebanho de animais, e, através dos bosques, vai em busca da estrada real, e anda, anda...


II – Entretanto seu pai não tinha paz com a perda do filho; e todo dia ia ao terraço da casa e levava longe o olhar, sem o ver nunca de volta. Um dia eis que ele enxerga vir um jovem com roupas rasgadas, pálido e contrafeito, que caminha com dificuldade. Aí sente bater o coração...


Olha bem, e diz: “Aquele é o meu filho”. E desce depressa a escada e corre ao seu encontro. O filho se põe de joelhos a seus pés, e chorando gostaria de dizer as palavras que já havia pensado: “Pai, perdão! Pequei...”


Mas seu pai não lhas deixa dizer; lança-lhe os braços ao pescoço e beija-o. depois o introduz em casa e grita aos servos: “Depressa, trazei a roupa mais bonita e ponde-a nele; ponde-lhe também o anel no dedo e os sapatos nos pés; matai o vitelo mais gordo, e convidai os parentes e amigos... E faça-se um alegre banquete; pois esse meu filho estava morto e ressuscitou; estava perdido e foi achado”. E se deu um lauto jantar, com grande alegria dos convidados.


III – Vedes que bom pai foi esse, para com um filho tão malvado? Achais um semelhante nesta terra? Não. Pois bem, Jesus Cristo, que contou esta parábola do Filho pródigo, diz que um pai semelhante nós todos temos no céu. Esse pai é Deus. Ele acolhe amavelmente todo pecador que se converte; perdoa-lhe todos os pecados, como os esquece para sempre: Peccatorum tuorum non recordabor (Is 43,25); e reveste-o de sua graça. Depois convida todos os Anjos e Santos do Céu a festejar. Escutai as palavras de Jesus Cristo: “Eu vos digo que se fará uma grande festa no Céu por um pecador que volta à penitência (Lc 15,7).


Ah! Sim! O Senhor é bom e infinita é sua misericórdia.


Conclusão


Ora, queridos filhos, haverá alguém dentre vós que duvide do perdão do bom Deus? Ouvi como ele fala: “Convertei-vos ao Senhor vosso Deus, porque ele é benigno e misericordioso” (Jl 2,13).


Madalena, a pecadora – Recordai-vos de Madalena. Era uma mulher tão impura, que na cidade tinha o apelido de pecadora: Mulier, quae erat in civitate peccatrix (Lc 7,37). E, no entanto, quando ela se converteu e lamentou os seus pecados aos pés de Jesus Cristo, como se tornou cara ao Senhor! Com rosto sereno Ele ergueu a mão para abençoá-la, e lhe disse com grande doçura: “Todos os teus pecados te são perdoados: vai em paz: Remittuntur tibi peccata...: vade in pace” (Lc 48,50).


Santa Margarida de Cortona – Ela foi também grande pecadora; e, no entanto, foi por Deus perdoada; não só isso: mas após a sua conversão, Jesus lhe quis tanto bem, que amiúde lhe aparecia e lhe dizia com carinho: “Margarida, tu és a minha pecadora; servir-me-ei de ti para trazer à penitências outros pecadores”.


***


Vós também sereis queridos do Senhor se voltardes arrependidos ao seu seio amorável. Lançai-vos, pois, aos pés desse bom Pai que vos abre os braços, e dizei-lhe com o coração humilde e contrito: “Pai, eu pequei! Sei que não sou digno de ser chamado vosso filho, pelas múltiplas ofensas graves que vos fiz. Mas Vós sois tão bom e misericordioso...! não me rejeiteis, pois, mas acolhei-me e perdoai-me! E, então, eu cantarei eternamente as vossas misericórdias: Misericordias Domini in aeternum cantabo (Sl 88,2).


(Extraído do livro A Palavra de Deus em Exemplos, G. Montarino,

Do original La Parole di Dio per la Via d’Esempi)