X – A Confissão - Readquire-se a graça



2 – Readquire-se a graça


É a liberdade dos filhos de Deus, rompendo-se as cadeias que mantinham a alma escrava do demônio.


O pássaro preso à linha – S. Anselmo, arcebispo de Cantuária, topou um garoto que trazia um pássaro preso a uma comprida linha, e se divertia a deixá-lo voar um pouco para depois o puxar a si. E a brincadeira durava. Não podendo S. Anselmo suportar o tormento do pobre pássaro, chegou-se ao menino e cortou a linha; assim ficou livre o prisioneiro. O garoto se foi a choramingar; mas o santo muito alegre disse aos que estavam presentes:


- Vistes! Dei a liberdade a um pobre prisioneiro. Ora, sabei que quando tendes em cima de vós os pecados também sois prisioneiros... e em poder do demônio que vos mantém presos com as cadeias. Mas quando vos confessais, tais cadeias são cortadas por aquelas palavras que diz o sacerdote ao vos dar a absolvição.


Eis o grande benefício da confissão.


3- É perdoada a pena eterna


Imaginai um homem condenado à morte por crimes. Esse homem apresenta uma súplica ao rei para ser agraciado; e o rei cancela a sentença de morte. Que graça! Não é verdade? Também o pecado acarreta a pena da morte eterna, isto é, da eterna danação: e se alguém morre com pecado mortal vai direto para o inferno. Ora, a confissão é a súplica que obtém de Deus a graça de livrar do inferno e de ainda merecer o Paraíso.


4 – Readquire-se os méritos perdidos


Imaginai um navio carregado de tesouros. Numa borrasca esse navio naufraga, e os tesouros vão todos para o fundo do mar. Quem os vai depois pescar? Ficam perdidos! Assim, quando alguém peca gravemente, perde todos os méritos que pode ter adquirido em muitos anos. Vede, porém, que milagre opera a confissão: faz recuperar todos os méritos que o pecado havia feito perder.


5 – Readquire-se a paz do coração


Com o pecado na alma, ninguém pode gozar da paz: só tem remorsos e pavor. Mas quando é absolvido no sacramento da confissão, então sim, se sente contente e goza da verdadeira paz! O pecado é um espinho no coração: se o pecador se confessa, arranca o espinho e se sente bem. O pecado é um veneno que intoxica a alma: quando o pecador se confessa, põe fora o veneno e se sente livre.


***


Estas são as principais vantagens da confissão; sem falar em muitas outras graças espirituais e noutras vantagens temporais que acarreta esse sacramento.


Conclusão


Quem não gostaria agora de aproveitar-se de tão grande benefício de Deus, fazendo uma boa confissão? Imaginai que um anjo fosse às portas do inferno e falasse assim aos danados:


- Míseros danados, o Senhor manda-me dizer-vos que Ele concede uma hora de prazo a quem dentre vós se quer confessar.


Que aconteceria? Todos os condenados certamente sairiam, a fim de fazer uma boa confissão. E depois? Sobre a porte do inferno poder-se-ia escrever: “Casa a alugar”: porque os que estão lá dentro iriam todos salvos para o Paraíso. Agora, pois, que ninguém dentre vós ache dificuldade em confessar-se bem nestes Exercícios. Uma boa confissão será para vós o início de uma vida santa e abrir-vos-á o Céu.



(Extraído do livro A Palavra de Deus em Exemplos, G. Montarino,

Do original La Parole di Dio per la Via d’Esempi)